sexta-feira, 29 de junho de 2018

Suicídio

Hoje testemunhei um suicídio. Horrível. 
Porque se suicidam as pessoas? Desespero? Chamada de atenção? Depressão? Doença?
Será uma forma, um tanto ou quanto inconsciente, de autopunição?
Será fruto de um quadro depressivo?
Será o resultado de pensamentos e sentimentos de uma baixa autoestima?
Será cobardia ou coragem?
Tenho para mim, que a ideia de suicídio não surge de repente, do nada, pelo contrário, essa ideia, tem um certo amadurecimento, é muito pensada, muito sentida e durante largo tempo ocupa o pensamento silenciosamente, sem palavras, solitária... 
A vida passa a ser insuportável, um fardo muito pesado e angustiante...
A tristeza que se passa a sentir é insuportável e ninguém pode compreende-la... 
A vida vai perdendo o sentido.
Várias serão as pessoas que já tenham pensado em morrer, talvez para escapar de um sentimento de impotência, de dor extrema...
Eu penso que deve ser comum ao ser humano, uma ou outra vez na vida, um pensamento desses, num momento de falta de esperança, seja lá porque motivo for. 
Contudo, aos poucos, os sentimentos e as ideias, voltam a reorganizar-se, servindo-se de uma qualquer tábua de salvação que vai surgindo e tudo se recompõe. A autoconfiança vai-se restabelecendo e aos poucos vai-se seguindo em frente, um dia de cada vez e uns a seguir aos outros.
No entanto, há sempre uns tantos que não conseguem encontrar uma saída, uma alternativa, uma tábua de salvação, uma razão... e conseguem alcançar o que eu hoje presenciei, o fim do caminho.

Paris






Torre  Eiffel
A Torre Eiffel é hoje considerada o maior símbolo de Paris. O seu nome deve-se ao seu Engenheiro: Gustave Eiffel.

                                     O Rio Sena 

O tradicional passeio de barco no rio Sena, em Paris, foi um dos momentos mais marcantes desta viagem. Ainda com a possibilidade de podermos sair e voltar a entrar, sempre que pretendíamos ir visitar algum monumento. Como foi o caso do Louvre e também do almoço.






O Museu do Louvre

O Museu do Louvre, em Paris, é o maior museu de arte do Mundo. O ano passado, 2017, foi o museu de arte mais visitado do Mundo.
A Catedral de Notre Dame

Dedicada a Maria, Mãe de Jesus. Os vitrais são magníficos. Ouvi lá uns cânticos de irmãs de hábito, que me encantou.
Os Champs-Élysées e o Arco do Triunfo

 
Winston Churchill - homenagem pela sua ação em conjunto: Franceses e Britânicos, durante a 2ª. guerra Mundial, contra os Alemães, em 1940


Arco do Triunfo e a Avenida Champs Elysées. 
Arco do Triunfo fica no fim da Avenida Champs Elysées.
Este é o Arco do Triunfo mais famoso do Mundo.

Montmartre
Montmartre, local de encontro de artistas, pintores, poetas e intelectuais.
A Place du Tetre, está repleta de pintores, pintando retratos rápidos, dos turistas que vão chegando para apreciar a magnifica vista da Basílica do Sacré-Couer, Sagrado Coração de Jesus, que é um dos locais mais visitados de Paris e o principal símbolo de Montmartre.
Fica na parte mais alta de Paris o que proporciona uma bela vista sobre a cidade.


De salientar que Montmartre também preserva o seu próprio "Vinhedo" das suas vinhas, cerca de 2000 atualmente.

Moulin Rouge
O Moulin Rouge ou O Moinho Vermelho, em Português, é o mais famoso "salão de baile" ou cabaré tradicional de Paris. Aqui nasceu o tão famoso "Cancã".
Versailles
De tudo o que visitei em Paris, o que mais me encantou foi Versailles.
Foi de facto o melhor passeio.
O Palácio de Versalhes, é um Palácio magnifico. Impressiona pelas suas Dimensão e Opulência. Daí ser o maior Palácio da Europa e talvez do Mundo.
Foi Residência Real desde o Rei Luís XIV, em 1678, até o Reis Luís XVI e a sua Rainha Maria Antonieta terem caído com a Revolução, em 1789.

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Mini férias a Paris (Junho/2018)

12/06/2018 - 1º. dia - despedidas 

Almoço com E., uma espécie de "cozido a portuguesa" em casa do meu pai, minha ou da E... já nem sei bem.
Jantar com filhos e netos em casa deles. Sardinhas que estavam deliciosas e porque era noite de Santo António, como manda a tradição. Os netos sempre uma graça dentro dos seus 2 e 5 anos. Apetece estar sempre a ouvi-los… 
Depois as marchas populares, em que mais uma vez ganhou Alfama e mereceu.

13/06/2018 - 2º. dia - hotel particular de cães

Pela primeira vez foram para outras pessoas. Dói. Espero que a B. os trate bem…


14/06/2018 - 3º. dia - malas

Hoje é o ultimo dia de preparação, as malas. Amanhã pela manhã viajaremos pelo céu até á cidade Luz e do Amor, Paris. 
Agora vou-me despachar, au revoir. Voltarei mais logo.

quarta-feira, 13 de junho de 2018

Marchas 2018

Alfama (245 pontos)
Bairro Alto (235 pontos)
Madragoa (234 pontos)

ex aequo Alto do Pina (225 pontos)


ex aequo Penha de França (225 pontos)


São Vicente (219 pontos)


Marcha da Madragoa 2018 - 3º. lugar

Classificações finais das Marchas Populares de Lisboa 2018
1.º Alfama (245 pontos)
2.º Bairro Alto (235 pontos)


3.º Madragoa (234 pontos)

Marchas Populares de 2018

Marcha vencedora de 2018 - Alfama

terça-feira, 12 de junho de 2018

Carlos Paião - "Pó de Arroz"

Pó de Arroz,
Na face das pequenas
Será beleza apenas, 
Só uma corzinha com
Pó de arroz,
Rosa é,
Mulher o pôs
E o homem vai nas cenas
Eva e Adão outra vez
É como enfeitar um embrulho
Arroz com gorgulho talvez

REFRÃO

Pó de arroz
Do teu arrozal
Esse pó que é fatal
És a tal que me encanta com

Pó de Arroz
Não faz nenhum mal
É de arroz integral
Infernal, quando chegas com
Todo o teu arroz (bis)


Pó de Arroz
Tens hoje só pra mim
Pós de perlimpimpim
És um arroz doce sim
Pode ser
Um canto de sereia
Serei a tua teia
E tu serás meu algoz
Mas quando te vais alindar
Alindada vens dar no arroz

REFRÃO
Pó de arroz
Do teu arrozal
Esse pó que é fatal
És a tal que me encanta com

Pó de Arroz
Não faz nenhum mal
É de arroz integral
Infernal, quando chegas com
Todo o teu arroz (bis)

REFRÃO
Pó de arroz
Do teu arrozal
Esse pó que é fatal
És a tal que me encanta com

Pó de Arroz
Não faz nenhum mal
É de arroz integral
Infernal, quando chegas com
Todo o teu arroz (bis)


Carlos Paião

CINDERELA

Eles são duas crianças a viver esperanças, a saber sorrir.
Ela tem cabelos louros, ele tem tesouros para repartir.
Numa outra brincadeira passam mesmo à beira sempre sem falar.
Uns olhares envergonhados e são namorados sem ninguém pensar.

Foram juntos outro dia, como por magia, no autocarro, em pé.
Ele lá lhe disse, a medo: "O meu nome é Pedro e o teu qual é?"
Ela corou um pouquinho e respondeu baixinho: "Sou a Cinderela".
Quando a noite o envolveu ele adormeceu e sonhou com ela...

[Refrão]
Então,
Bate, bate coração
Louco, louco de emoção
A idade assim não tem valor.
Crescer,
vai dar tempo p'ra aprender,
Vai dar jeito p'ra viver
O teu primeiro amor.


Cinderela das histórias a avivar memórias, a deixar mistério
Já o fez andar na lua, no meio da rua e a chover a sério.
Ela, quando lá o viu, encharcado e frio, quase o abraçou.
Com a cara assim molhada ninguém deu por nada, ele até chorou...

[Refrão]
Então,
Bate, bate coração
Louco, louco de emoção
A idade assim não tem valor.
Crescer,
vai dar tempo p'ra aprender,
Vai dar jeito p'ra viver
O teu primeiro amor.

E agora, nos recreios, dão os seus passeios, fazem muitos planos.
E dividem a merenda, tal como uma prenda que se dá nos anos.
E num desses bons momentos, houve sentimentos a falar por si.
Ele pegou na mão dela: "Sabes Cinderela, eu gosto de ti..."

[Refrão]
Então,
Bate, bate coração
Louco, louco de emoção
A idade assim não tem valor.
Crescer,
vai dar tempo p'ra aprender,
Vai dar jeito p'ra viver
O teu primeiro amor.

Autor: Carlos Paião