quinta-feira, 27 de julho de 2017

26 de Julho, dia de quem?

Pois é, ontem, dia 26 de Julho, parece que foi dia dos avós, parece, porque para mim, dia dos avós, será sempre que eu e o meu marido, estivermos na companhia dos netos e aproveitarmos bem esses momentos, o que não foi o caso do dia de ontem, uma vez que os netos estão de férias.
Ontem, foi mais o dia da minha cadela Julie, uma vez que fez a sua esterilização.  
Coitada, está um pouco abalada, já vomitou por duas vezes e, está ainda um pouco adormecida.
Mas, amanhã será outro dia e, logo logo, vai ser de novo a minha cadela.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

A propósito de postais

Ando agora a ler um livro de Alice Vieira,  intitulado: "Só duas coisas que, entre tantas, me afligiram".
No meu entender,  não é bem um livro, no sentido de uma história.
É sim um conjunto de apontamentos, de acontecimentos do dia a dia, de opiniões sobre os acontecimentos que a vida vai fazendo acontecer...
Que me perdoe a Alice Vieira, que conheço do café "Toninho", que entretanto já fechou, se não concordar com esta minha opinião, mas é o que sinto com este seu livro e que nada tem de mal, são passagens ou relatos de acontecimentos que me bem dispõem.
Vem tudo isto a propósito de um sub-título, da parte dois do livro, dedicado ao quase desuso de postais.
Pois bem,  também eu gosto de postais e lamento o seu elevado preço. 
Tenho por costume, dar 1 postal a cada filho e marido, sempre que fazem anos ou que é Natal. Mesmo tendo consciência que são para, mais cedo ou mais tarde, irem parar ao lixo. Mas, enquanto os estou a escolher na loja e depois os estou a preencher... é Amor que lhes estou a dedicar... é sentir como eles são muito importantes para mim, como eles são parte de mim.
Agradeço-lhe ter-mo feito lembrar.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Parabéns!

Hoje, os meus filhos fazem anos.
Não, não são gémeos, entre eles existem 3 anos de diferença, aconteceu apenas.
Para eles desejo tudo o que a vida tem de melhor.
Desejo-lhes muita saúde, muita Paz, muito Amor e muita Felicidade.
PARABÉNS! !

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Tudo faz parte da vida

Quando acontecem as "conversas de avó e neta", como lhes chamo, com a minha neta de apenas 4 anos, falamos de diversos assuntos,  como se ela fosse crescida. 
Quase sempre começam por explicação de algumas coisas que ela não entende bem ou tem dúvidas, ou até mesmo, satisfação de alguma curiosidade. 
Uma das nossas conversas foi sobre o medo que ela tem de cair e se magoar e chorar e como depois será o tratar dos ferimentos e se irá doer muito...
Expliquei-lhe então que tudo isso irá acontecer,  quer ela tenha mais ou menos cuidado porque correr, cair, chorar, rir, ter saúde,  ficar doente e depois melhorar, tudo faz parte da vida,  todas as pessoas de vez em quando,  caiem, riem, choram, têm dores, têm alegrias,  tristezas, porque tudo faz parte da vida.
Percebeu e abraçou-me...
Esta semana foi a festinha do final do ano lectivo do balé.
Todas as crianças estavam  Lindas e bailaram muito bem.
A minha neta, pela sua idade, pertence ao grupo das mais pequeninas,  logo foi a primeira a actuar.
Quando a festinha terminou, a propósito da apresentação e de alguns outros temas de conversa, a avó materna, a avó Zira, disse que por vezes ela era muito teimosa, logo rematou a neta:
- Sabes avó,  é que tudo faz parte da vida...

sábado, 24 de junho de 2017

Que descansem em Paz!

Todos sabemos que o fogo é uma coisa terrível,  mas o que ocorreu a semana passada foi um monstruoso pesadelo.  Tantas vidas ceifadas... entre elas estão o José Maria e a São Graça, que descansem em Paz!
Hoje será o velório e a missa e amanhã o funeral.
O José Maria e a São tinham ido passar o fim de semana a Vila Facaia, em Leiria,  de onde era natural o Zé, com receio do fogo resolveram vir embora, mas afinal, naquela estrada, o fogo apanhou-os... se a escolha tivesse sido outra... a casa está bem...
Caríssimos,  descansem em Paz!
Nunca esquecerei o sorriso e a boa disposição do José Maria

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Conversas de avó e neta

Sábado ao final da tarde, a minha filha trouxe o Romão, o seu cão, e junto com a recém minha cadela,  fomos buscar os meus netos e fomos dar um passeio.
No final, jantámos em casa do meu filho e ficamos com os meninos para que o meu filho e a minha nora fossem ao teatro, também lhes faz bem um programa a dois.
Minha neta quando me viu ficou Feliz e enquanto lhe vestia um casaquinho porque estava muito vento, disse:
_ Avó,  gosto muito quando tu vens a minha casa.
_ Porquê, Querida?
_ É que é sempre muito divertido, há sempre muitas coisas engraçadas para fazer e porque gosto muito de ti.
E recebi um abraço e um beijinho. 
(Claro que fiquei muito sensibilizada e babada)












Ontem, pela manhã, fui buscar a minha neta para vir passar o domingo connosco e almoçar "bacalhau à braz" e a minha filha mais o seu cão também vieram almoçar.
A intenção é tentar que o Romão ensine alguma coisa à Lucie e que sejam amigos, uma vez que o Romão fica cá em casa, sempre que a minha filha vai para fora.

Quando fui buscar a neta, ela disse-me:
_ Avó,  gosto muito de ir para a tua casa,
_ Porquê?
_ Porque há sempre muitas brincadeiras,  é muito divertido e porque gosto muito de ti.
  
Há lá coisa melhor?

sábado, 3 de junho de 2017

Abandono de animais

Já tanto se disse sobre o abandono de animais mas, ainda existem pessoas monstruosas que precisavam de ser tratadas, porque não podem estar bem, pois o abandono e os maus tratos aos animais continua a ser uma prática e uma realidade. 
Vem isto a propósito porque, durante a noite de quarta para quinta feira, alguém atirou este animal, bem como um saco de 10kg de ração para dentro do jardim da minha casa.
Ração que deve levar toda a sua vida para a comer dado que ela pouco ou nada come.
Foi para "aliviar" a consciência, certamente. 

Não pensem que foi fácil tirar estas fotos,  nada foi fácil na quinta feira. O animal deve ter passado parte da noite debaixo dos arbustos do jardim,  ao frio e sem nada conhecer.  
Estava amedrontado.

Levei toda a manhã para ele sair donde estava porque o sol já estava a mudar e ia ficar muito calor da parte da tarde no jardim. 

Por fim lá consegui que ele saísse e viesse para o quintal por detrás da casa.

Reparei então que era uma cadela, talvez uma das razões do abandono.  
 
Deparei-me também com o facto de que não sabe nem comer nem beber dos comedor e bebedor. 
Come e bebe do chão,  como as galinhas.



Depois do almoço e preocupada como estava, fiz uma procura na Internet, de clínicas veterinárias, aqui na zona onde moro.
Consegui consulta para as 16H00.
Tragédias mete-la e tira-la do carro e ir ao veterinário...
Contudo reparei que é um doce, no meio de tudo, não estragou nada no jardim e tem uns olhos de socorro que mete dó...

Quando regressei, sabendo que ela está bem de saúde,  um pouco magra, já desparasitada e depois de lá ter deixado uma pipa de massa... dei-lhe um grande banho e consegui com muito custo que ela entrasse na cozinha,  mas não consegui que comesse ou bebesse. 
Ela enrolou-se  completamente por debaixo de uma cadeira, entre as traves da cadeira e ali ficou até ao meio dia de ontem. 

Ontem fui às compras para ela,  é que não tenho coração para a abandonar de novo num qualquer canil...

Parece-me que ela deve ter estado numa capoeira, caminha mal, não sabe comer, já aprendeu a beber, não sabe brincar com nada, não sabe controlar os chi-chis e os cocos, não responde a palavra nenhuma que se diz habitualmente aos cães o que me leva a acreditar que ninguém falava com ela... Vai ser um desafio!

Contudo já aprendeu a dormir ao comprido e esticada e... adotou-me!